MAZDA APRESENTA BT-50 TOTALMENTE RENOVADA; PICAPE DERIVA DA ISUZU D-MAX


Historicamente derivada da Ford Ranger, a Mazda BT-50 deixou de usar a base da picape norte-americana em definitivo, diminuindo os laços entre as antigas aliadas. Em sua nova geração, a japonesa deriva de um produto de outra companhia asiática, a Isuzu D-Max. A novidade estreia na Austrália até o fim de 2020.

Apesar de adotar a base da D-Max, a BT-50 tem linhas exclusivas na dianteira. A enorme grade frontal com barras prolongadas até a base dos faróis está alinhada à linguagem visual Kodo dos últimos Mazda. Capô, para-choque e faróis auxiliares acompanham a identidade. Nas laterais, apesar das portas e janelas com cortes semelhantes, a nova picape também tem superfícies específicas, adotando ainda maçanetas e retrovisores próprios. A traseira é mais próxima da utilizada pela Isuzu e não traz mais as lanternas horizontais marcantes da última BT-50.

O painel não tem desenho muito próximo do visto em outros Mazda. Contudo, as linhas são modernas, com acabamento aparentemente esmerado. Logicamente, não falta uma grande tela para a central multimídia, mas o quadro de instrumentos virtual, moda no ramo automotivo, não está presente.

Tal qual plataforma e carroceria, o motor da BT-50 também vem da Isuzu. Trata-se de um 3.0 a diesel de 189 cv e 45,9 kgfm. A capacidade de carga é de uma tonelada, com reboque de até 3,5 toneladas.

FONTE: Allthecars

Posts Em Destaque
Posts Recentes