Jeep Commander: veja com quem o SUV de 7 lugares deve brigar



Foto: Divulgação


Um dos lançamentos mais aguardados do segundo semestre no Brasil é o Jeep Commander, cuja chegada está marcada para o final do ano. A marca, parte do grupo Stellantis, já afirmou que este será o produto mais luxuoso feito na unidade de Goiana (PE), posicionado logo acima do Compass.


Ele também será o representante da Jeep no segmento de veículos de 7 lugares, atualmente dominado pela Chevrolet Spin.


Só que o Commander certamente atuará em uma faixa de preços mais alta, tendo como rivais modelos de fabricantes consideradas “generalistas”, mas também concorrentes de marcas premium.


Ainda é cedo para cravar quanto custará o novo Jeep. Isso porque o lançamento deve ocorrer apenas no último trimestre. Para piorar, nosso mercado tem sofrido com as sucessivas altas nos preços.


Uma olhada para a tabela do Compass pode ajudar a posicionar o “irmão maior”. Nesse início de julho, a versão mais cara do SUV médio é vendida por R$ 221.990, alcançando os R$ 243.190 quando equipado com todos os opcionais disponíveis.


Dessa forma, podemos esperar que o Commander chegue na faixa dos R$ 240.000, podendo beirar os R$ 300.000 nas versões a diesel mais completas.


Briga com quem?


De todo modo, o principal “alvo” do Commander deve ser o Volkswagen Tiguan Allspace, atualmente oferecido em versão única, com motor 2.0 turbo de 220 cv e tração integral, por R$ 236.090.


Outro concorrente de peso é o CAOA Chery Tiggo 8, vendido por R$ 181.990 em configuração única. Ela traz motor 1.6 turbo de 187 cv e câmbio de dupla embreagem de 7 marchas.


Até o fim do ano o SUV da CAOA Chery deve ganhar uma variação com acabamento mais refinado e um motor mais potente.


Menos óbvio, mas com uma oferta de motores parecida, o Mitsubishi Outlander corre por fora entre os SUVs de 7 lugares. Sua versão básica, que tem motor 2.0 aspirado de 190 cv e custa R$ 204.990, não deve concorrer diretamente com o Commander.


Porém, as duas opções mais caras do Mitsubishi devem “dar match” com as equivalentes do Jeep. O Outlander intermediário traz motor V6 3.0 de 240 cv e custa R$ 252.990. Já a versão topo de linha tem um 2.2 turbodiesel de 165 cv. Nesse caso, a tabela, hoje, é de R$ 280.990.


Um deles é o Mercedes-Benz GLB, lançado há poucos meses no Brasil. Ele é uma das opções mais baratas (ou menos caras, se preferir) da marca alemã. Parte de R$ 264.900, mas pode chegar a R$ 299.990.


O outro é o Land Rover Discovery Sport, montado em Itatiaia (RJ). Dotado de tração 4x4 e motor 2.0 flex de 250 cv, tem tabela de preços começando em R$ 299.950.


Apesar das mais diversas origens, motorizações e estilos, os modelos citados acima têm em comum o porte semelhante: entre 4,60 m e 4,70 m de comprimento. Dessa forma, não podemos esperar que o espaço para os ocupantes da terceira fileira seja generoso. Ali, a recomendação é levar apenas crianças.


Qual é a do Commander?


O Commander não deve ter dimensões muito diferentes dos rivais. Considerando que o Compass, com quem compartilha a plataforma, tem 4,42 metros, uma “esticada” de cerca de 30 cm não seria impossível.


Só que apesar do porte maior, o Commander vai compartilhar não apenas a plataforma, mas também alguns componentes com Renegade, Compass e Fiat Toro, o que ajuda a reduzir os custos de desenvolvimento e produção.


O mesmo deve acontecer com as motorizações. As versões de entrada do Jeep Commander devem ter o novo motor 1.3 turboflex de 4 cilindros e 185 cv e 27,5 kgfm acoplado ao câmbio automático de 6 marchas.


Já as configurações mais caras vão lançar mão do 2.0 turbodiesel Multijet atualizado e com potência elevada para a casa dos 200 cv. O torque deve passar dos atuais 35,7 kgfm para algo perto de 40 kgfm. A tração será 4x4, com transmissão automática de 9 marchas.


Os indianos do Autocar ainda afirmam que o SUV poderá ter um sistema híbrido leve de 48V para auxiliar nas partidas do motor e reduzir emissões de gases poluentes. Só que essa opção pode não chegar por aqui.


Fora isso, o Commander deve trazer todo pacote de assistências já presente nos demais carros da Jeep. Isso inclui alertas de ponto cego, de colisão frontal com frenagem automática de emergência, e de saída de faixa com correção no volante.

O sistema Adventure Intelligence, uma espécie de assistente virtual na própria central multimídia, também deve estar disponível. Com ele, o motorista pode acompanhar diversos parâmetros do veículo usando o celular.



Fonte: Autoo


Posts Em Destaque
Posts Recentes