Como Henry Ford Mudou O Mundo – A História Do Homem Por Trás Do Carro


Foto: divulgação


Henry Ford: um dos industriais americanos mais influentes.

Através de sua empresa, Henry transformou a vida americana e neste artigo vamos aprender como ele fez isso desde o início.


Conheça A História De Henry Ford

Nascido em Michigan apenas 20 anos depois de se tornar um estado, Henry cresceu em uma época em que a agricultura era lenta, exaustiva e manual, e é por isso que, sem surpresa, ele passou a odiá-la com paixão.


Mas enquanto a maioria das pessoas na época não tinha a sorte de escapar do que nasceu, Henry teve a sorte de ter essa oportunidade.


Veja bem, a vila em que ele nasceu ficava a apenas 13 quilômetros a oeste de Detroit.

Naquela época, Detroit estava rapidamente se tornando um centro industrial graças à máquina a vapor.


No início de sua infância, Henry encontrou a tecnologia, com a qual poucas crianças de sua idade podiam brincar. Ele mexia nos relógios de seus vizinhos mais abastados e, aos doze anos, não podia apenas desmontá-los, mas também montá-los e consertá-los.


Seu interesse cresceu e se tornou uma obsessão quando ele pôde observar em primeira mão uma máquina a vapor em funcionamento durante uma viagem escolar a uma das companhias ferroviárias de Detroit.


Quando Henry se tornou adolescente, a máquina a vapor já estava entrando na comunidade agrícola. As debulhadoras e serrarias movidas a carvão estavam se tornando comuns e Henry estava aprendendo como funcionavam e também como consertá-las.


Henry Ford Foi Morar Em Detroit

Aos dezesseis anos deu um grande salto quando, contra a vontade de seu pai, deixou sua aldeia para trabalhar em Detroit.


Em Detroit naquela época qualquer jovem mecânico poderia facilmente encontrar um emprego muito lucrativo. A indústria em Detroit estava crescendo e vinha fazendo isso há quase cinco décadas.


Em 1825, um canal foi cavado ligando o Rio Hudson aos Grandes Lagos, que na época eram efetivamente a fronteira ocidental. Todos os recursos inexplorados que não tinham como sair, De repente podiam ser movidos de barco a vapor para Nova York.


Devido a isso, Em um período de apenas 50 anos, a população de Detroit aumentou dez vezes.


Além disso, Havia vastas minas no norte produzindo cobre, ferro e serralherias abrindo praticamente em todos os lugares.


Todo esse metal e madeira sustentou cerca de mil empresas só em Detroit, incluindo aquelas em que Henry trabalharia ao longo da década de 1880.


Contato Com Motor E Primeiros Passos

É nessa época que Henry, por acaso, aprendeu sobre o motor a gasolina de uma revista britânica. Estava sendo produzido em pequenas quantidades por um engenheiro alemão, Chamado, Nikolaus Otto.


O motor a gasolina estava ganhando força na Europa, mas era praticamente inédito na América.

Henry teria a chance de trabalhar essa tal motor em 1889 e ele imediatamente reconheceu as vantagens que ele tinha.


Veja, Por não usar vapor, o motor era muito mais leve. Sendo assim, livrava-se da caldeira pesada e de toda a água que havia nela porque fazia toda a combustão internamente, um processo muito mais eficiente.


Isso também permitiu que o motor a gás iniciasse rapidamente, enquanto os motores a vapor da época precisavam de até 30 minutos para aquecer a água e gerar vapor suficiente para começar a funcionar.


O motor a gás era uma inovação pela qual Henry se apaixonou, mas era algo que ele não entendia completamente. Afinal, ele tinha uma vasta experiência com vapor e metal, mas quase nenhuma com eletricidade e o motor a gás era acionado por uma faísca elétrica.


Henry Ford Foi Trabalhar Na Edison Illuminating Company

Para obter esse conhecimento, Henry foi trabalhar para a filial local da Edison Illuminating Company. Ela estava gerando eletricidade para mais de mil casas em Detroit e o fazia usando motores a vapor, então Henry era uma contratação natural para eles.


Sempre que os motores quebravam, Henry tinha que consertá-los. No entanto, Sempre que eles estavam funcionando ele estava livre para fazer o que quisesse.


Ou seja, Era o trabalho perfeito que lhe permitia passar seus dias experimentando motores a gasolina.


Primeira Criação De Henry

Em 1893, quando Henry já havia sido promovido a engenheiro-chefe da Edison, ele criou seu primeiro motor a gás em funcionamento. A ideia de usar o motor a gasolina para criar uma carruagem sem cavalos estava na mente de Henry desde que ele viu uma pela primeira vez.


No entanto, Tornar essa ideia uma realidade levaria anos de trabalho. Construir um carro em um mundo sem peças de carro não era fácil e Henry teve que descobrir todos os detalhes por tentativa e erro.


Foram três anos de esforço constante para produzir isso: o Quadriciclo, um quadro simples com motor movido a etanol e quatro rodas de bicicleta montadas nele. Ele tinha apenas duas marchas e nenhuma era para dar marcha à ré, mas o pior é que não tinha sistema de refrigeração, tornando o superaquecimento um problema constante.


Em seu primeiro ano, Henry fez inúmeras melhorias no Quadriciclo, mais notavelmente adicionando um sistema de refrigeração. Além disso, Quando o vendeu em 1897 por US $ 200, ele havia dirigido em torno de 1600 quilômetros nele.


Henry construiu um segundo quadriciclo e depois um terceiro, sempre aprimorando o design, antes de finalmente se sentir confiante o suficiente para em 1899 para iniciar sua própria empresa.


Detroit Automobile Company

Capitalizada em US$ 150.000, a Detroit Automobile Company era um empreendimento muito ambicioso. Muitos da elite de Detroit investiram nele, incluindo os amigos de Henry da Edison Company.


Além disso, Todos estavam ansiosos para ver o que Henry poderia criar com o capital adequado.

O plano de Henry era muito inteligente: como ele conhecia pessoalmente muitos dos industriais de Detroit àquela altura, ele tentaria construir um automóvel que eles pudessem usar em seus negócios.


Ele alugou uma fábrica e planejava contratar uma centena de trabalhadores para fazer seu novo “vagão de entrega”, como ele o chamava. Mas descobriu-se que construir máquinas tão complexas em grande número era muito mais difícil do que Henry imaginava.


A grande maioria das peças utilizadas na fabricação do vagão de entrega eram produzidas por outras empresas. Além disso, Cada vez que uma única entrega se atrasava, toda a fábrica não tinha escolha a não ser parar de trabalhar.


Portanto, O primeiro vagão de entrega levou seis meses para ser produzido e não foram feito mais de vinte nos dois primeiros anos de existência da empresa.


Primeiro Fracasso

No final de 1902, os outros acionistas estavam fartos da falta de progresso de Henry e votaram para se livrar dele. Agora, como Henry detinha apenas 15% da empresa. Ou seja, ele não tinha escolha a não ser obedecer.


No entanto, curiosamente, o homem que assumiu a Detroit Automobile Company acabaria por transformá-la em Cadillac. Henry estava de volta à prancheta e desta vez adotaria uma abordagem muito diferente.


Em vez de visar empresas com máquinas caras, Henry projetaria um veículo para ser usado pelo homem comum. Veja, na época, praticamente todos os carros eram itens caros: eles eram feitos principalmente por artesãos qualificados. Ou seja, um de cada vez.


Além disso, A maioria das vezes eram projetados para corridas, o que estava rapidamente se tornando uma atividade favorita dos americanos.


Criação Do Modelo A

Henry imaginou transformar o carro de um símbolo de status em uma mercadoria, mas fazer isso não seria fácil e, de fato, Henry levou 20 iterações de design diferentes antes que ele finalmente conseguisse um que funcionasse.


Henry rotulou seu primeiro projeto como o Model A e trabalhou no alfabeto nos próximos 5 anos, sustentado pelo capital de seus amigos e familiares.


Mas o que mais mudou nesse período não foi o carro em si, mas o processo de produção.

Henry aprendeu a importância de ter uma cadeia de suprimentos confiável quando sua primeira empresa faliu, e é por isso que desta vez ele tentou obter o maior número possível de peças do mesmo fabricante.


A que ele escolheu provavelmente soará familiar: a Dodge Brothers Company.

A Dodge Brothers Company é uma oficina mecânica em Detroit que eventualmente evoluiria para a marca americana de mesmo nome.


A Virada De Jogo Na Vida De Henry Ford

No entanto, A maior mudança de jogo de todas, foi a visita casual de Henry a um matadouro em Chicago. Ele viu ali algo interessante: uma linha de desmontagem, por assim dizer, onde vários trabalhadores processavam as carcaças que se deslocavam por uma linha.


Henry imaginou que poderia usar o mesmo processo, mas ao contrário: uma linha de montagem. Usando o dinheiro que economizou de alguns de seus modelos anteriores, que também foram montados pelos Dodge Brothers, Henry conseguiu construir uma fábrica própria em 1904, onde pôde experimentar o processo de linha de montagem.


Em 1905, a fábrica da Ford empregava mais de 300 pessoas que construíam 25 carros por dia.

No entanto, Henry ainda não tinha entendido tudo: ele estava produzindo vários modelos diferentes ao mesmo tempo, o que o impedia de usar adequadamente uma linha de montagem.


Criação Model N

No entanto, havia um sinal do que estava por vir: o acessível Model N, criado em 1906, tornou-se o carro mais vendido nos EUA e a Ford tornou-se o maior produtor de automóveis da América.


Na verdade, é durante a produção deste modelo que Henry usaria pela primeira vez o processo de linha de montagem para montar pelo menos parcialmente alguns de seus carros.


Não era uma linha de montagem completa, mas mesmo assim esse experimento aumentou a produção na mesma fábrica. A logística, claro, foi outra grande parte do sucesso de Henry.


Criação Da Ford Manufacturing Company

Em 1905 ele criou a Ford Manufacturing Company, completa com sua própria fábrica que começou a fazer os motores e transmissões dos carros de Henry para eliminar ainda mais qualquer possibilidade de atrasos. Mas o maior fator para o sucesso de Henry veio talvez do lugar mais inesperado: o Peru.


Agora, esta é uma história que você não vai ouvir em nenhum outro lugar, então leia com atenção. Em 1907, Henry iniciou a construção de uma estação de tratamento térmico para produzir aço vanádio.


Essa liga de aço era nova nos Estados Unidos: na verdade, poucos fornos nos EUA conseguiam atingir a temperatura necessária para fabricá-la. No entanto, A dificuldade em produzi-lo valia a pena, porque o aço vanádio era duas vezes mais forte que o aço comum, sendo na verdade mais leve.


Agora, na época, a metalurgia do vanádio era pesquisa de ponta, mas Henry tinha uma conexão extremamente sortuda: ele era amigo dos dois irmãos que possuíam a única mina de vanádio no Peru que produzia 92% da oferta mundial.


Joseph e James Flannery haviam comercializado aço vanádio na Europa e nos Estados Unidos vendendo-o para companhias ferroviárias, mas sua mina peruana estava produzindo tanto vanádio que eles tiveram que fazer outra coisa com ele.


Além disso, Eles venderam aço vanádio para o governo dos EUA para a construção do Canal do Panamá, mas mesmo isso não foi suficiente.


Sendo assim, então quando conheceram Henry em 1906 eles imediatamente fizeram uma oferta: eles o ajudariam a fazer a transição de todo o seu processo de fabricação para usar aço vanádio.


Foi o engenheiro-chefe deles que construiu a estação de tratamento térmico para Henry em 1907. Além disso, Foi a empresa deles que forneceu à Ford todo o vanádio necessário para seus carros.


O Famoso E Revolucionário Ford Model T

O primeiro carro Ford projetado com aço vanádio foi o Ford Model T em 1908 e foi essa liga de aço que realmente o tornou bem-sucedido. Não era o carro mais barato que Henry havia feito: o Model N e suas versões de luxo eram na verdade mais baratos.


Mas não precisava ser porque era de longe o melhor carro construído na época, muito mais forte que qualquer concorrente.


A grande diferença de qualidade era o único marketing de que Henry precisava.

Sendo assim, Em poucas semanas após o lançamento do Modelo T, a Ford recebeu 25.000 pedidos.


Embora tenha conseguido produzir apenas 17.000 unidades durante todo o ano de 1909.

Henry percebeu o quão grande era o Modelo T e é por isso que ele construiu uma segunda fábrica maior em 1910 e é lá que ele aperfeiçoaria a linha de montagem móvel em 1913.


Durante esse período, a produção dobraria a cada ano: em 1910 ele construiu 20.000 modelos T e apenas seis anos depois ele estava construindo mais de meio milhão.


Ao mesmo tempo, Henry adotou outra estratégia brilhante: ele estava constantemente reduzindo o preço de seu carro para aumentar ainda mais sua participação no mercado. De fato, durante esses seis anos, ele reduziu o preço do Modelo T em mais da metade.


Em 1918, metade de todos os carros na América eram Modelo T e essa tendência continuaria até a década de 1920. Henry havia começado uma nova era na história americana: a era do automóvel e foi sua empresa que dominaria totalmente em suas duas primeiras décadas.


Não foi até o final da década de 1920 que o resto da indústria automobilística alcançou Henry, mas naquele momento ele já era um dos homens mais ricos vivos.


Fonte: Curiosidades Globais


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square